Minha foto

Sou o tipo de pessoa incansável. Faço de tudo o tempo todo e gosto de construir resultados. Locutor, apresentador, colunista, escritor e defensor da língua alemã Hunsrickisch, apaixonado pela música alemã e pela culinária, tenho por hobby cozinhar, pintar quadros a óleo e tocar contrabaixo. Eletrotécnico de carreira, me aposentei nesta profissão, e agora, além de manter ainda minha oficina eletrônica trabalho como voiceover internacional em e-learnings e wbt. Amo tudo o que faço.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Bissie Gelô - Musikante Chtekka numma siben

Ouça esta história gravada aqui: Hea das graveadne chtekk do hia:


Musikante chtekka numma siben (siwwe).

Es giebt nics chena in de Welt als ene musikant sin. Di phó umschtende wo ma do hot als samstags owens net kenne de film in de televisom guke oda di hochtsait fon em parent wo ma faphast is nics als di grohshéd wo is kenne ene ból chpille.
Wea musikant is hot ken ende woch un fillmo geht ea an de mittags tisch fa se esse sontags em tswói ua.
Musikant sin is fill naies mit esse un mit mache mit de colege wo bai ém chpille. Un es is óh fill ôwende sich ab miie fa naie musike lenne. En nai musik tut fill mohls de musikante bis drai chtunde nemme bis si mohl di musik gelént hon.
Alsmo passiad es dan das ma net in drai oda fia treffunge di musik richtich raus find. Ene musikant wo en klenichkhéd fakead micht, de fassaud di gans musik. Dan, mus nommo alles geiibt werre.
Etliche musikante begraife mechtich laicht en nai musik un so, wen sie mohl tswói oda drai mohls geibt gieb is, dan wisse si se chon áuswennich.
Awa, di pletsa wo ma khenne lennt als musikant sin, is etwas interessantes. Uffrichtich geschproch, wenn ma nii musikant gewehs weat, het ma nii net kenne gelennt.
Es giebt so gute lait in so faschtekkeldne pletsa, das ma siht das di Natua di gute lait chen no alla saite geseht hot. Es selwige is mit de chene medcha wo ma dort kenne lennt. Gródso óh, gewiss, mit de eekliche menna.
Una de ganse pletsa un tswischen de ganse personen, etwas is ima en sichahéd: di lait tun alla luste un alla wille de musikante. Denna dérref nics fehle: fon em esse bis es tsaich un es bóde tsimma, alles mus gut bedient giebe fa di wo hottich di fest-kenigen sin.
Uf etliche pletsa wo mea geschpillt hon, harre di bedina geménnt miste uns gut eniire mit chnaps oda bia, dan hon se so haufe wais bai gebrun, das alsmo' phó sich bissie do drón fapast hot.
Mea harre en gut bande.. Di selwige musikanten sin acht ioa baisamma geblib un mea harre so en grohs harmoni una uns un in de musik. Di componente wóre gute lait, un de measchte fláissiche baure, wo ende woch dan di musik gemacht hon.
Awa ene, de Guido, unsre pistonist, de wód f
adreht. Bessa geschproch, ea wód chehmlich fadreht. Sain kwalited als musikant wód mechtich grohs. So fill, das ea en haufe chteka léhn foa geschpillt hot.
Sain gewehnlichkhéd hot measchte mohls uns gehollef grohs uns fiire wall ea, ene fon de beste musikante, net sich foa komme gemacht hot. Un ea hot etliche chteka geschpillt als es di original instrumentiste were, so perfekt wód sain órwed. Ea hat noch nii en musiks chul gekent un kont kaum saine nome unnatsaiche.
In em lewe wód ea awa mechtich fadreht. Wenn ea so en chen medche foa sich hat, dan hot ea di musik so fabloost, das alles falsch raus komm is. Un, ea wóod ima roth geb fon uwe bis unne. So, hot ea alla gebott etwas uns foa gebrun das es unnglaubich ausgesihn hot.
Ene tóoh, hon mea in Harmoni in de alt kérrich ene ból solle chpille. Alles wód fértig, gut instalead, mea harre uns sat gess, de uniform ón un wóre chon fértig fa se ónfenge. De sóol wód chtokke foll, wód ken plats me iwrich. Mea sin uf de palco gang, ieda ene uf sain plats, un pinklich em ellef ua hot de maista getsehlt fa de musiks ónfang mache. Do, hot ea gesóod:
- En, tswói, drai, fia...
Mea hon ochtum getsô fa ónfenge, do hot de Guido sich uf di sait gedreht un chróit fa de maista:
- Wód mo! Wód mo! ...Miro, wód mo bissie!
Miro, de maista, hot uns getsaicht mea sollte net ónfenge, do hot ea de Guido gefroht :
- Nach, Guido, was is dan loos?
Ea antwort foa de ganse lait wo ruich un willich uns am wóde wóre ónfenge:
- Ich kan net chpille, Miro! Ich hon es bocalche fon em pistom in em auto fagess.
Mea muste do rákstich de ból ónfenge ohne de Guido, wo saine bocal fon em pistom in dem seckell fon dem iákke iaus do fagess hat.

(Ieda enlichkaite sin nua cointsidense).

-----------------------------------------------------------------------------------
História de musicos número sete


Não existe nada mais belo no mundo do que ser músico. Aqueles pequenos contratempos que a gente tem como não poder olhar aquele filme na televisão sábado à noite, ou aquele casamento de parente que a gente perde, nada é a grandeza de se tocar um baile.
Quem é músico não tem fim-de-semana e muitas vezes senta para almoçar domingos às duas da tarde.
Ser músico é comer muitas novidades e passar muitas novidades com os colegas que conosco tocam. E também é se esmerar por várias noites para aprender músicas novas. Uma nova música muitas vezes toma até três horas do músico até ele aprender a tocá-la.
Às vezes então acontece que em cada três ou quatro encontros não se aprende a música. Um músico que erra um detalhe, estraga toda a música. Então, ensaiar tudo de novo.
Alguns músicos captam com facilidade uma nova música, então, quando ela já foi ensaiada duas ou três vezes, então eles já a sabem de cor.
Mas, os lugares que a gente conhece como músico é algo iteressante. Falando francamente, se a gente nunca tivesse sido músico, jamais se conheceria estes lugares.
Existem pessoas tão bacanas nestes lugares escondidos, que a gente vê que a natureza semeou este tipo de pessoas por todos os cantos. O mesmo é para as belas garotas que a gente aprende a conhecer lá. Também, sim, com os homens feios.
Entre todos os lugares e todas as pessoas, uma coisa sempre é certa: as pessoas fazem todos os agrados para os músicos. Para eles nada pode faltar: desde a comida até a roupa no banheiro, tudo deve ser ao serviço daqueles que em breve seriam os reis da festa.
Em alguns lugares onde tocamos os garçons achavam que tinham que nos servir muito bem com cerveja ou cachaça, então traziam aos montes, tanto que às vezes alguns se passavam na bebida.
Nós tínhamos uma banda boa. Os mesmos músicos se mantiveram juntos durante oito anos e assim conseguimos uma grande harmonia entre nós, músicos. Os componentes eram pessoas bacanas e a maioria deles eram colonos que no fim-de-semana faziam música.
Mas um, o Guido, nosso pistonista, ele era virado. Melhor dito, era muito virado. Sua qualidade como músico era muito grande. Tanto, que várias músicas ele solava sozinho.
Sua simplicidade muitas vezes nos deixava ufanos porque ele, um dos melhores músicos, nunca por si só queria se destacar. E ele tocava algumas músicas como se fossem as originais, de tão perfeito que era seu trabalho. Nunca tivera uma aula teórica de música sequer, e quase nem sabia assinar seu nome.
Mas. ma vida, ele era muito virado. Quando ele tinha na sua frente alguma bela garota, ele estragava a música soprando errado, tanto que tudo saía errado. E ele vermelhava de alto a baixo. Assim, ele de vez em quando nos aprontava alguma que parecia inacreditável.
Um dia, tocamos na igreja velha em Harmonia. Tudo estava pronto, bem instalado, tínhamos comido muito bem, uniformizados e prontos para começar o baile. O salão estava lotado até o gogó e não tinha mais espaço vago. Subimos no palco, cada um no seu lugar, e exatamente às onze horas o maestro da banda começou a contagem regressiva para começar:
- Um, dois , três, quatro... Respiramos fundo para começar, então o Guido se virou e gritou para o maestro:
- Espera! Espera! ...Miro, espera um pouquinho!
Miro, o maestro, nos assinalou que esperássemos e então ele perguntou:
- Ué Guido, o que aconteceu
Ele respondeu na frente de todo mundo que aguardava pacienciosamente para iniciar a dança:
- Não posso tocar, Miro! Esqueci o bocal do pistom no carro.
Tivemos que literalmente iniciar o baile sem o Guido, o qual tinha esquecido o bocal do seu pistom no bolso do casaco lá fora.

(Cada semelhança é mera coincidência).