Minha foto

Sou o tipo de pessoa incansável. Faço de tudo o tempo todo e gosto de construir resultados. Locutor, apresentador, colunista, escritor e defensor da língua alemã Hunsrickisch, apaixonado pela música alemã e pela culinária, tenho por hobby cozinhar, pintar quadros a óleo e tocar contrabaixo. Eletrotécnico de carreira, me aposentei nesta profissão, e agora, além de manter ainda minha oficina eletrônica trabalho como voiceover internacional em e-learnings e wbt. Amo tudo o que faço.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Canção do Exílio - Fatswunge Auslands Lid

    Foi-me pedido para fazer a tradução para o Hunsrickisch deste que é um dos poemas mais conhecidos no meio literário brasileiro, que é a Canção do Exílio de Gonçalves Dias. Ei-la:

    Es is mea fallangt geb ich sollt di iwasetsung tsum Hunsrickisch mache fom dem poem wo is ene fon de measch bekantste tswischen de brasiliónische chraiwa, wo is das Fatswunge Auslands Lid, fom Gonçalves Dias.


Fatswunge Auslands Lid

Main land hot pallem béhm,
Do wo di amschel singt;
Di fêechel wo do hia kwíidschle,
Kwíidschle net so wi dott.

Uns're himmel hot meh chténne,
Unsa wóoge hon meh blume,
Unsa weldcha hon meh lewe,
Unsa lebe meh liibe.

Iwa em kriwwle, léen, owends,
Meh chpass finn' ich dott;
Main land hot pallem béhm,
Do wo di amschel singt.

Main land hot foaschpíchelunge,
So wi di ich net dott finne;
Iwa em kriwwle - léen, owends -
Meh chpass finn' ich dott;
Main land hot pallem béhm,
Do wo di amschel singt.

Soll Gottes net mich chterwe losse,
Ohne ich dott tsurick komme;
Ohne di foaschpíchelunge fakníiche
Wo ich net do hia finne;
Ohne ich noch di pallem béhm sihen,
Do wo di amschel sing

----------------------

Canção do Exílio
   Gonçalves Dias (1823-1864)


Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar — sozinho, à noite —
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que desfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem qu’inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá."


Nenhum comentário:

Postar um comentário