Minha foto

Sou o tipo de pessoa incansável. Faço de tudo o tempo todo e gosto de construir resultados. Locutor, apresentador, colunista, escritor e defensor da língua alemã Hunsrickisch, apaixonado pela música alemã e pela culinária, tenho por hobby cozinhar, pintar quadros a óleo e tocar contrabaixo. Eletrotécnico de carreira, me aposentei nesta profissão, e agora, além de manter ainda minha oficina eletrônica trabalho como voiceover internacional em e-learnings e wbt. Amo tudo o que faço.

domingo, 15 de julho de 2012

Fríerische Geschefta


Ouça esta história gravada aqui: Hea das graveadne chteck do hia:



        Fríerische Geschefta

Es wóore mohl di tsaite wo es in de colonii khéen gelt geb hot. Es wóod gans fríasch, wo di lait fon allem geplanst honn, un was si iwrich harre is gehandeldt geb in de wende. Tsucka un salts wóore tswói article wo weat harre wi gold. Di coloniste sinn fon wait komm sammstachs mittachs, fa di tswói article se gescheftle, wall ende woche, must doch ima kuuche gebackt gewe in dem grosse backoofe, un fa das, muste di frólait doch émfach de tsuckka honn.
Noch dann fa sonntachs de gute chwaine broode in de backoofe enn leie, wóod es nodwennich es salts, pfeffa, knuwwloch, moscóod nuss, tswiwwle, pedacilie, móiron un fett. Gewiss, fon dem gansem dings, hat de baua alles fa de gute sonntachs broode se mache, nohre was chlimm wóod bai bringe wóod es salts un de pfeffa.
Fillmohls harre di baure newa ihnes haus ene grosse hinkel chtall, fa hinkle tsiie un óia ende nohre fa in de wende se gescheftle um tsuckka, salts un pfeffa. Wenn dann de bodegero sain chtellche foll hinkle hat, dann wóod es etwas chlimmes, wall de baua hat dan gónics fa se gescheftle. Was mache?
Êtliche harre chon tuack geplanst fa bissie fumm wickle, dann wóod es óoch ene faine artickel fa se handle in de wende. Un fill mohls, hon annre baure de fumm ab gescheftelt um millie mehl oda sirrup. Awa ene echte baua, wall in denna tsaite es lewe so chpits wóod, konnt sich net de fottel gewe fa iede tóoh se rauche. Di baure honn fill chpeda óngefang se rauche. In denna chlimme tsaite, obwohl de baua saine aichne fumm produtsiad hot, konnt sich nohre de fottel gewe fa sonntachs rauche. Das wóore so ferháftnisse grohsse criole, so grohs, das de baua ene ganse tóoh drón rauche must fa ea se fabringe. Fa fill, wóod dan sonntachs de fumm tóoh.
In Pless Tóol is es dann alles gródso gelóof wi in de annre pletsa. Nohre dott, di unnaschitt wóo das de bodegero net léen di lait bedihnt hot. Es wóod bai ihnem in hellef sai fróo. En rantsich fróo. Bessa geschproch, en unnferhaftniss chlecht uffgeraumtne fróo. Fa se ónfenge, si hat fêttiche groue hoa, so dinn, dass si dôrrich sichtich wóore. Es sêlwiche konnt ma net fon sainem chnórres sóon. Si hat so en halleb tutsend dicke un ungeschickliche béschte unna de nóos, wo sain gesicht ebérmlich unnuntrauich geloss honn. Di kittle wo si benutst hot wóore ima fa se biichle. Un sain holts chlappe wóore so knáistlich, das noch net de hunt wollt sich owends dróon leie.
In dem selwiche Pless Tóol hot es dann di familie Hérlich geb, wo mechtich metódisch wóod. Fa de Hérlicha Frido di óia tsu de wende dróon, hot ima di Alma, sain fróo si gut enngepackt fa se net fabreche in de rées. Es wóod ima en benaidiches khérrebche: foll papia, un tswischen dann di gelwe óia fon saine hinkle.
So is dann de Frido tsu de wende gerrit ene gute sammstach mittach, fa di óia tsu de wende tróon um gescheftle um tsuckka un salts. Wi ea ann di wende komm is, pakte ea saine korreb foll óia ab un hot si in di wende getróon. Di Margeritt, em bodegero sain chlecht uffgerautmne fróo, nommo chlecht ufgerraumt wi ima, hot das tuch am korreb ufgehobt, di óia unnasuucht, do sóod si behs:
- Di óia wo's du hait gebrungt hosst Frido, sinn fill tsu kléen fa se gescheftle.
Ea antwort:
- Du duusell dia! Wenn ich se geleht wehre se sicha grehssa, un wenn du se geleht hesst, dann wehre se doch sicha saua!

TRADUÇÃO:

Negócios de Antigamente

Era uma vez o tempo em que não existia dinheiro na colônia. Isto foi bem antigamente, quando as pessoas plantavam de tudo e o que lhes sobrava era negociado no armazém. Açúcar e sal eram dois artigos que valiam ouro. Os colonos vinham de longe aos sábados à tarde para negociar estes dois artigos, porque no fim de semana tinham que assar uma cuca no enorme forno à lenha, e para tanto, as mulheres principalmente precisavam do açúcar.
Além disto para no Domingo deitar aquele gostoso assado de porco no forno era necessário o sal, pimenta, alho, noz moscada, cebolas, salsa, mangerona e banha. Claro, o colono dispunha de todos estes ingredientes para fazer o gostoso assado de Domingo, mas o difícil era sempre ter a mão o sal e a pimenta.
Muitas vezes os colonos tinham do lado de sua casa um grande galinheiro para criar galinhas e delas ter os ovos somente para trocar no armazém por açúcar, sal e pimenta. Quando então o bodegueiro tinha seu curralzinho cheio de galinhas, então ficava difícil porque para o colono não sobrava nada para negociar. O que fazer?
Alguns já haviam plantado fumo para fabricar um pouco de fumo em corda, então este era mais um fino artigo para negociar no armazém. E muitas vezes outros colonos negociavam este fumo em corda por farinha de milho ou melado. Mas um colono de verdade, por nestes tempos a vida andar muito bicuda, não podia se dar ao luxo de fumar todos os dias. Os colonos começavam a fumar bem mais tarde. Nestes tempos difíceis, mesmo o colono produzindo seu próprio fumo, só podia se dar ao luxo de fumar somente aos domingos. Isto eram gigantescos palheiros, tão grandes que o colono precisava um dia inteiro fumando naquele negócio para acabar com ele. Para muitos então, domingos era o dia do fumo.
Em Picada Cabeção tudo então corria como nas outras localidades. Só que lá o bodegueiro não atendia sozinho às pessoas. Consigo em sua ajuda, estava a sua mulher. Uma mulher ranzinza. Melhor dito, uma mulher incrivelmente mal humorada. Para começar, ela tinha um cabelo seboso tão fino, que era transparente. O mesmo não se podia dizer de seu bigode. Ela tinha uma meia dúzia de pelos grossos e desajeitados sob o nariz, os quais deixaram seu rosto bastante desconfiável. Os vestidos que ela usava sempre estavam por ser passados a ferro. E seus tamancos eram tão chulezentos, que nem o cachorro se deitava perto de noite.
Nesta  mesma Picada Cabeção existia a família Hérlich, a qual era muito metódica. Para o Frido Hérlich levar os ovos até o armazém, sempre a Alma, sua esposa, os empacotava bem para não quebrá-los na viagem. Sempre era um balainho invejável: cheio de papel e no meio dele os ovos amarelos de suas galinhas.
Então um dia o Frido cavalgou até o armazém num sábado à tarde para trocar seus ovos por açúcar e sal. Quando ele chegou no armazém, descarregou seu balaio cheio de ovos e os levou para dentro. Margerita, a esposa mal-humorada do bodegueiro, novamente de mal com a vida como sempre, levantou o pano do balaio, analisou os ovos, então ela disse braba:
- Os ovos que você trouxe hoje Frido, são muito pequenos para comercializar!
Ele respondeu:
- Sua megera! Se eu os tivesse posto com certeza seriam maiores, mas se você os tivesse posto, então com certeza estariam azedos. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário