Minha foto

Sou o tipo de pessoa incansável. Faço de tudo o tempo todo e gosto de construir resultados. Locutor, apresentador, colunista, escritor e defensor da língua alemã Hunsrickisch, apaixonado pela música alemã e pela culinária, tenho por hobby cozinhar, pintar quadros a óleo e tocar contrabaixo. Eletrotécnico de carreira, me aposentei nesta profissão, e agora, além de manter ainda minha oficina eletrônica trabalho como voiceover internacional em e-learnings e wbt. Amo tudo o que faço.

sábado, 13 de outubro de 2012

Di Alte Doktre in de Colonii


Ouça esta história gravada aqui: Hea das graveadne chteck do hia:

Di alte doktre in de Colonii

Fríasch, ausam de grosse chtedta, hot es ima in de colonii ene dokta gib wo fon de chtadt komm is fa di gewêenliche lait fon de colonii unasuuche, un dorrich di sihung des fihlung des krankhéed, di meditsiin foaschraiwe wo di nochmohl kurire ted. Un in denna flichtung, filmohls was getsehlt hot wóod di competens fon dem dockta fa dem kranke sain krankhéede raus finne dôrrich sain fihlunge.
Un so sinn interessante chtecka foa komm, wi dieses:
Ene alte dokta wo ima in de colonii geschaft hat, hot geménnt sain tsait wead komm fa sich aposentire nooh meh alls fênneftsich ioa doktre.
Do is enngenómm giebt ene iunge dokta fa ihne ibasetse un des altes doktache hot ea enngelóod fa mit ihnem gehn tsu de hausliche besuuche, fa das dann di lait so langsam sich mit ihnem bekant mache dêere.
An dem êaschte haus hot en fróo sich beklóod saine móoche têed weh tuhn. De alte dokta antwort tsu si:
- Wées du, di haupst sache des krankhéed kann filaicht sinn wall du tsu fill frische fruchte gess host... Weche was tust du net bissie an de kwantited ab némme?
Wi si aus dem haus wóore, do sóod de iunge:
- Du hosst noch net mohl di fróo unnasuucht! Hosst khéen hand an si gefóo! Hosst si noch net mohl es héts gehead kloppe un fill wênicha ihnem saine blud druck gemesst... wi bist du an de resultód ihnes krankhéed so fiks komm?
- Och, es het werklich net raus geschprung si unnasuuche... Hosst du gemérrekt das ich de chtetoskopio uf de bodem falle gelloss honn? 
- Ia! - Sóod de iunge dokta. De alte chpricht waita:
- Wi ich mich gebikt honn fa ea se uff raffe, honn ich gemérrekt das do so en halleb dutsend mange scheele, so halwa grihn in dem lixus éema, una sain bed drinn wóore. Das wóod en sinn das dieses saine paine gebrun honn. Grihne mange sinn schweia fa de móoche. ...In dem nêegste besuuch, bist du foa geschrib fa de eksóome.
- Hum! Wi Schlau! Ich wet doch dain techniss baiholle.
In dem negste haus, honn se en haufe minuten faphasst am chpreche mit en iung fróo. Si wóod sich am beklóowe fon en mechtich grohs ausnutsung:
- Ich fihle mich gans ohne kraft, ausgenutst, so wi ich het mich tsu fill fa mach an de óorwed di letste tóoche...
De iunge dokta hot do ihnem gesóod:
- Du hosst filaicht tsu fill fon dea fa di khérrich geb... Wenn du di aktivited niedre tust, filaicht grihst du di energi nommo tsurrick.
So wi si das haus geloss honn, doh hot de alte dokta fa de iunge gesóod:
- Saine diagnosis hot mich iwarrascht... Wi bist du an de resultóod komm das di fróo sich mit kherwa un sêel in khérricha órwede chteche ted?
- Ich senn dain selwich teknisch nôo gang: honn de chtetoskopio ronna falle geloss un, wi ich mich gebikt honn fa ea se uff raffe, honn ich de phóoda unna dem bed gesihn laie!!!!

TRADUÇÃO:

Os médicos antigos da colônia

Antigamente, fora os grandes centros, existia na colônia sempre aquele médico que vinha da cidade para consultar as pessoas simples do interior, e através do diagnóstico dos sintomas receitar os medicamentos que novamente as curassem. E nesta artimanha, muitas vezes o que mais contava era a competência do médico em interpretar a doença do paciente através dos sintomas.
E assim, histórias interessantes aconteciam, como esta:
Um velho doutor que sempre trabalhara no meio rural, achou que tinha chegado a hora de se aposentar depois de ter exercido medicina mais de cinquenta anos !
Foi encarregado um jovem médico para substituí-lo e o médico velhinho o convidou para que o acompanhasse nas visitas domiciliares, para que as pessoas se habituassem a ele progressivamente.
Na primeira casa uma mulher queixou-se que lhe doía muito o estômago. O velho doutor respondeu-lhe:
 - Sabe, a causa provável é que você abusou das frutas frescas... Por que não reduz a quantidade que consome?
 Quando saíram da casa o jovem disse:
- O senhor nem sequer examinou aquela mulher! Não colocou um dedo nela! Nem sequer ouviu seus batimentos cardíacos e mediu sua pressão... Como conseguiu chegar ao diagnóstico assim tão rápido?
 - Oh, nem valia a pena examiná-la.... Você notou que eu deixei cair o estetoscópio no chão? 
- Sim! - Disse o jovem. O velho continou a falar:
- Quando me baixei para apanhá-lo, notei que havia meia dúzia de cascas de mangas, um pouco verdes, no balde do lixo. É provável que isso lhe provoque as dores. Mangas verdes são pesadas para o estômago.
Na próxima visita você se encarrega do exame.
- Humm! Que esperteza ! Vou tentar empregar essa técnica.
Na casa seguinte, eles passam vários minutos a falar com uma mulher ainda jovem. Ela queixava-se de uma grande fadiga:
 - Eu sinto-me completamente sem forças, exaurida, como quem tivesse trabalhado demais por estes dias... 
O jovem doutor disse-lhe então:
- Você deu provavelmente muito de si para a igreja... Se reduzir essa atividade, talvez recupere um pouco da sua energia.
Assim que deixaram aquela casa, o velho doutor disse para o novo :
- O seu diagnóstico surpreendeu-me... Como é que chegou à conclusão que aquela mulher se dava de corpo e alma aos trabalhos religiosos?
- Eu segui a mesma técnica que você aplicou: deixei cair o meu estetoscópio e, quando me baixei para o apanhar, vi o padre debaixo da cama...!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário